QUESTÕES DE EXPANSÃO MARÍTMA

QUESTÕES DE EXPANSÃO MARÍTMA

Questões: Expansão Marítima Européia

 
1) A Expansão Marítima e Comercial é produto de um conjunto de fatores 
que marcam a época de transição por que passava a Europa. 
Essa transição caracteriza a passagem de um modo de produção
 em crise para outro, isto é:
 
a) do escravista para o feudal;
b) do capitalista para o escravista;
c) do feudal para o capitalista;
d) do feudal para o escravista;
e) do escravista para o capitalista.


2)(FUVEST) À época da expansão Marítima e Comercial, a Europa
 passava por profundas transformações. 
Entre elas, podemos destacar, exceto:
 
a) o advento das monarquias nacionais;
b) a desintegração do escravismo;
c) o processo de formação do capitalismo;
d) a ascensão da burguesia mercantil;
e) o Renascimento Comercial
 
3)A crise européia dos séculos XIV e XV constituiu um bloqueio ao desenvolvimento da economia de mercado. A superação desse processo foi realizada por meio:
a) da isenção de tributos para as cidades;
b) do fortalecimento das corporações de ofício;
c) da Expansão Marítima;
d) de incentivo à lavoura feudal;
e) das Cruzadas.
 
4)As rotas marítimas do Mediterrâneo, do Norte e do Báltico revitalizaram o comércio europeu a partir do século XI. No continente europeu, essa revitalização deu-se com:
 
a) as rotas terrestres que ligavam as cidades francesas e Constantinopla;
b) a expansão mercantil dos muçulmanos a partir da Espanha;
c) a participação dos mercadores vikings;
d) com as feiras medievais que surgiram ao longo das rotas de comércio;
e) a fundação das feitorias árabes na Península Ibérica.
 
5)Ao final da Idade Média, a necessidade de novas rotas de comércio gerou a expansão mercantil e marítima desenvolvida pelos países atlânticos. Até então, a principal via comercial européia era o Mediterrâneo, cujo monopólio estava concentrado nas mãos dos comerciantes:
 

a) venezianos e pisanos
b) espanhóis e muçulmanos
c) venezianos e mouros
d) italianos e árabes
e) italianos e ibéricos
 
6)FATEC) No início dos tempos modernos, assistimos a uma série de grandes transformações que atuaram na desestruturação do mundo feudal e também se refletiam na diminuição do poder da Igreja, na expansão comercial e marítima, no desenvolvimento da burguesia, no Renascimento e na reforma religiosa. Também está ligada a este período histórico:
                             
a) a descentralização política e administrativa do Estado;
b) a formação das repúblicas federativas;
c) a ascensão das ditaduras pelas elites militares;
d) a ascensão das ditaduras lideradas pelas classes trabalhadoras;
e) a formação das monarquias nacionais absolutistas.
                                 
GABARITO : 1ª) C - /  2ª)B - / 3ª) C- /4ª)- C / 5ª)-D/ 6ª) E

05 A expansão européia na Idade Moderna atingiu o mundo todo, mas de diferentes maneiras. A expansão compreendeu desde viagens isoladas de aventureiros, que apenas revelavam a existência de lugares até então não assinalados no mapa, até a conquista e ocupação de territórios que se incorporaram, como colônias, aos estados europeus. Sobre este tema, assinale o que for correto.
 
(01) Muitas vezes o equilíbrio do continente europeu dependia e se decidia nas colônias ultramarinas e na disputa pelas rotas comerciais e de navegação.
(02) Mais do que a curiosidade, o desejo de novas descobertas e uma carência de especiarias, o que movia as grandes viagens marítimas européias em direção a espaços desconhecidos era a "sede de ouro", grave mal-estar econômico que acometia a sociedade ocidental desde os finais do século XV.
(04) O Estado moderno, através da atividade comercial que caracterizava as grandes empresas européias, buscava a balança comercial favorável.
(08) A política econômica dos Estados modernos europeus se fundava nas práticas da livre concorrência, do metalismo e da restr ição às importações.
(16) As relações de trabalho caracterizavam-se pelo uso generalizado da mão-de-obra livre e assalariada, especialmente nas colônias ibéricas da América.
 
 
06.                                                               Mar Português
 
Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!
 
Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quere passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.
            (Fernando Pessoa)
 
O poema de Fernando Pessoa descreve aspectos da expansão marítima portuguesa no século XV, dando início a um movimento que alguns estudiosos consideram um primeiro processo de globalização. Identifique duas motivações para a expansão portuguesa e explique por que essa fase de expansão pode ser considerada um primeiro processo de globalização.
R-Duas das motivações:
- busca de ouro, pimenta, marfim e escravos na África
- procura de caminho marítimo para área de especiarias (Índias)
O encontro e a exploração de novos territórios produziram trocas culturais, políticas e comerciais ampliando o mundo até então conhecido pelos europeus.
 
 
07. Explique as condições que tornaram Portugal o primeiro país europeu a iniciar a Expansão Marítima.
R-Portugal foi favorecido por uma série de fatores: sua posição geográfica privilegiada, pois sendo voltada para o Atlântico, era parada obrigatória de rota de comércio; sua centralização política consolidada ainda no século XIV; e o seu desenvolvimento técnico na área náutica que permitiu o domínio nas artes da navegação.
 


 
08.MARQUE V OU F:
As navegações portuguesas do século XV operaram:
 
(  F   ) No norte europeu, onde já era fácil capturar os vikings.
(   F  ) Fundamentalmente, na região do Mediterrâneo, única área onde poderiam ser obtidos escravos muçulmanos.
(   V  ) primeiramente, nas costas africanas, pois o comércio europeu exigia muitos elementos de troca.
(   V  ) No sudeste asiático, pois interessava alcançar o mercado das especiarias.
(   F  ) Imediatamente na busca da América, único continente capaz de fornecer produtos preciosos.

 
 09. Ao chegar a Calicute, em 1498, o navegador português Vasco da Gama aguardou que embarcações locais se aproximassem das naus e mandou um membro da tripulação para terra, o degredado João Nunes. Este encontrou no porto dois comerciantes tunisinos, que sabiam falar castelhano e genovês, travando o seguinte diálogo, registrado por um português anônimo:
 
            - Ao diabo que te dou; quem te trouxe cá?
            E perguntaram-lhe o que vínhamos buscar tão longe.
            E ele respondeu:
            - Vimos buscar cristãos e especiaria.
            (Adaptado de VILLIERS, John. Vasco da Gama, o Preste João das Índias e os cristãos de São Tomé. In: "Oceanos: Vasco da Gama". Lisboa , 1998.)
 
a) Justifique por que "buscar especiaria" foi uma importante motivação econômica da Expansão Marítima portuguesa.
R- "Buscar especiaria" foi uma importante motivação econômica da Expansão Marítima portuguesa porque havia grande interesse nesses produtos, originários do Oriente, pela Europa, em função das suas propriedades de conservação dos alimentos e portanto, fontes de vultosos lucros.
 
 
10. Leia o texto que descreve os fenômenos da mitologia que ajudaram a construir o fatalismo geográfico representado pelo Cabo Bojador.
 
            DO OUTRO LADO DO MAR TENEBROSO
 
            Águas fervilhantes, ares envenenados, animais fantásticos e canibais monstruosos espreitavam a imaginação dos que desciam o Atlântico em direção ao sul.
            Quando o navegador da Ordem de Cristo Gil Eanes passou o Cabo Bojador, um pouco ao sul das ilhas Canárias, em 1434, mais do que realizar um avanço náutico, estava desmontando uma mitologia milenar. Acreditava-se que depois do cabo, localizado no que é hoje o Saara Ocidental, começava o Mar Tenebroso, onde a água fumegava sob o sol, imensas serpentes comeriam os desgraçados que caíssem no oceano, o ar seria envenenado, os brancos virariam pretos, haveria cobras com rostos humanos, gigantes, dragões e canibais com a cabeça no ventre.
            O estrondo das ondas nos penhascos do litoral, que podia ser ouvido a quilômetros de distância, as correntes fortíssimas e as névoas de areia reforçavam o pânico dos pilotos. Quando finalmente reuniu coragem e viu que do outro lado não havia nada de especial, Eanes abriu o caminho para o sul.
            "Super Interessante", fevereiro de 1998, p.39
 
 
Explique por que o Oceano Atlântico era considerado o mar tenebroso e por que o Cabo das Tormentas foi o maior obstáculo marítimo de Portugal.
R-Era tenebroso por ser desconhecido e dessa forma, as várias lendas sobre o mesmo só aumentava o medo daqueles que o enfrentaria.
As fábulas sobre o fim do mundo após o cabo, associado às agitadas águas da região tornaram ainda mais fantástico o feito daqueles que superaram tudo isso e descobriram que existia mundo além do bojador.