PORTUGUÊS

PORTUGUÊS

DICIONÁRIO

ACENTUAÇÃO GRÁFICA

ORTOGRAFIA

MORFOLOGIA:

1) SUBSTANTIVOS:

a) SUBSTANTIVOS 1

b) DEFINIÇÃO E TIPOS DE SUBSTANTIVOS    JOGO - TIPOS DE SUBSTANTIVOS

c) SUBSTANTIVOS 2

d) SUBSTANTIVOS BIFORMES

e) SUBSTANTIVO 3

f) SUBSTANTIVO 4

g) SUBSTANTIVO - FLEXÃO DE GRAU 1

h) SUBSTANTIVO - FLEXÃO DE GRAU 2

i) FLEXÃO DO SUBSTANTIVO

j) SUBSTANTIVO - FLEXÃO DE GÊNERO PATE 1

k) SUBSTANTIVO - FLEXÃO DE GÊNERO PATE 2

2) NUMERAIS

    Numerais - aula para concursos

    Aula 1 - O que é numeral

   Aula 2 - Flexão do numeral

3) ARTIGOS

     ARTIGO TEORIA

    


SITES RECOMENDADOS:

1 - DICIONÁRIO DE PORTUGUÊS ONLINE

2 - DICIONÁRIO DE PORTUGUÊS ONLINE

3 - DICIONÁRIO DE PORTUGUÊS ONLINE

4 - SITE DE EXERCÍCIOS

5 - PROVA DE PORTUGUÊS ONLINE

6 - EXERCÍCIOS RESOLVIDOS A

7 - EXERCÍCIOS RESOLVIDOS B

8 - INTERPRETAÇÃO DE TEXTO A

9 - ACENTUAÇÃO, HÍFEN, ORTOGRAFIA E USO DOS PORQUÊS

10 - SIMPLESMENTEPORTUGUÊS

***** ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS

Colocação Pronominal

Este é o estudo da colocação dos pronomes oblíquos átonos (me, te, se, o, a, lhe, nos, vos, os, as, lhes) em relação ao verbo. Eles podem ser colocados de três maneiras diferentes: antes do verbo (Próclise), no meio do verbo (mesóclise) e depois do verbo (Ênclise).

Próclise
Próclise é a colocação dos pronomes oblíquos átonos antes do verbo. Usa-se a próclise, obrigatoriamente, quando houver palavras atrativas. São elas:

Palavras de sentido negativo.
Ela nem se incomodou com meus problemas.

Advérbios.
Aqui se tem sossego, para trabalhar.

Pronomes Indefinidos.
Alguém me telefonou?

Pronomes Interrogativos.
Que me acontecerá agora?

Pronomes Relativos
A pessoa que me telefonou não se identificou.

Pronomes Demonstrativos Neutros.
Isso me comoveu deveras.

Conjunções Subordinativas.
Escrevia os nomes, conforme me lembrava deles.


_______________________________________
Obs.: Não ocorre próclise em início de frase.
Ex.: O certo é Traga-me essa caneta que aí está. e não Me traga essa caneta.



Outros usos da próclise:

01) Em frases exclamativas e/ou optativas (que exprimem desejo):
Ex. Quantas injúrias se cometeram naquele caso!
Deus te abençoe, meu amigo!

02) Em frases com preposição em + verbo no gerúndio:
Ex. Em se tratando de gastronomia, a Itália é ótima.
Em se estudando Literatura, não se esqueça de Carlos Drummond de Andrade.

03) Em frases com preposição + infinitivo flexionado:
Ex. Ao nos posicionarmos a favor dela, ganhamos alguns inimigos.
Ao se referirem a mim, fizeram-no com respeito.

04) Havendo duas palavras atrativas, tanto o pronome poderá ficar após as duas palavras, quanto entre elas.
Ex. Se me não ama mais, diga-me.
Se não me ama mais, diga-me.


Obs: Se o verbo não estiver no início da frase, pode ocorrer próclise também, mesmo não havendo palavra atrativa.
Ex.: Ele se arrependeu do que fizera.


______________
Mesóclise
Mesóclise é a colocação dos pronomes oblíquos átonos no meio do verbo. Usa-se a mesóclise, quando houver verbo no Futuro do Presente ou no Futuro do Pretérito, sem que haja palavra atrativa alguma, apesar de, mesmo sem palavra atrativa, a próclise ser aceitável. O pronome oblíquo átono será colocado entre o infinitivo e as terminações ei, ás, á, emos, eis, ão, para o Futuro do Presente, e as terminações ia, ias, ia, íamos, íeis, iam, para o Futuro do Pretérito. Por exemplo, o verbo queixar-se ficará conjugado da seguinte maneira:

Futuro do Presente Futuro do Pretérito
queixar-me-ei queixar-me-ia
queixar-te-ás queixar-te-ias
queixar-se-á queixar-se-ia
queixar-nos-emos queixar-nos-íamos
queixar-vos-eis queixar-vos-íeis
queixar-se-ão queixar-se-iam


Para se conjugar qualquer outro verbo pronominal, basta-lhe trocar o infinitivo. Por exemplo, retira-se queixar e coloca-se zangar, arrepender, suicidar, mantendo os mesmos pronomes e desinências: zangar-me-ei, zangar-te-ás...

Lembre-se de que, quando o verbo for transitivo direto terminado em R, S ou Z e à frente surgir o pronome O ou A, OS, AS, as terminações desaparecerão. Por exemplo Vou cantar a música = Vou cantá-la. O mesmo ocorrerá, na formação da mesóclise: Cantarei a música = Cantá-la-ei.

Os verbos dizer, trazer e fazer são conjugados no Futuro do Presente e no Futuro do Pretérito, perdendo as letras ze, ficando, por exemplo, direi, dirás, traria, faríamos. Na formação da mesóclise, ocorre o mesmo: Direi a verdade = Di-la-ei; Farão o trabalho = Fá-lo-ão; Traríamos as apostilas = Trá-las-íamos.

Obs.: Se o verbo não estiver no início da frase e estiver conjugado no Futuro do Presente ou no Futuro do Pretérito, no Brasil, tanto poderemos usar Próclise, quanto Mesóclise.
Por exemplo:
Eu me queixarei de você ou Eu queixar-me-ei de você. Os alunos se esforçarão ou Os alunos esforçar-se-ão

__________________
Ênclise
Ênclise é a colocação dos pronomes oblíquos átonos depois do verbo. Usa-se a ênclise, principalmente nos seguintes casos:


01) Quando o verbo iniciar a oração.
Ex. Trouxe-me as propostas já assinadas.
Arrependi-me do que fiz a ela.

02) Com o verbo no imperativo afirmativo.
Ex. Por favor, traga-me as propostas já assinadas.
Arrependa-se, pecador!!

Obs.: Se o verbo não estiver no início da frase e não estiver conjugado no Futuro do Presente ou no Futuro do Pretérito, no Brasil, tanto poderemos usar Próclise, quanto Ênclise.
Por exemplo:
Eu me queixei de você ou Eu queixei-me de você.
Os alunos se esforçaram ou Os alunos esforçaram-se.

______________
Colocação pronominal nas locuções verbais
As locuções verbais são formadas por verbo auxiliar + infinitivo, particípio ou gerúndio.

01) Auxiliar + Infinitivo ou Gerúndio:
Quando o verbo principal da locução verbal estiver no infinitivo ou no gerúndio, há, no mínimo, duas colocações pronominais possíveis:
Em relação ao verbo auxiliar, seguem-se as mesmas regras de colocação pronominal em tempos simples, ou seja, próclise, em qualquer circunstância (menos em início de frase), mesóclise, com verbo no futuro e ênclise, sem atração, nem futuro.
Em relação ao principal, deve-se colocar o pronome depois do verbo (ênclise). Veja os exemplos:
Eles se vão esforçar mais.
Eles não se vão esforçar mais.
Eles se irão esforçar mais.
Eles vão-se esforçar mais.
-o-
Eles ir-se-ão esforçar mais.
Eles vão esforçar-se mais.
Eles não vão esforçar-se mais.
Eles irão esforçar-se mais.

02) Auxiliar + Particípio: Quando o verbo principal da locução verbal estiver no particípio, o pronome oblíquo átono só poderá ser colocado junto do verbo auxiliar, nunca após o verbo principal. Veja os exemplos:
Eles se têm esforçado.
Eles não se têm esforçado.
Eles se terão esforçado.
Eles têm-se esforçado.
-o-
Eles ter-se-ão esforçado.
-o-
-o-
-o-

Obs.: Quando o pronome for colocado entre os dois verbos (ênclise no auxiliar), teremos de usar hífen. Por exemplo: Eles vão-se esforçar mais. Há gramáticos que julgam esse hífen desnecessário.

Separação Silábica

A divisão silábica deve ser feita a partir da soletração, ou seja, dando o som total das letras que formam cada sílaba, cada uma de uma vez.

Usa-se o hífen para marcar a separação silábica.

________________________________
Normas para a divisão silábica:

Não se separam os ditongos e tritongos:
Como ditongo é o encontro de uma vogal com uma semivogal na mesma sílaba, e tritongo, o encontro de uma vogal com duas semivogais também na mesma sílaba, é evidente que eles não se separam silabicamente. Ex. Au-las / au = ditongo decrescente oral.
Guar-da / ua = ditongo crescente oral.
A-güei / uei = tritongo oral.


Separam-se as vogais dos hiatos:
Como hiato é o encontro de duas vogais em sílabas diferentes, obviamente as vogais se separam silabicamente. Por exemplo:
Ex. Pi-a-da / ia = hiato
Ca-ir / ai = hiato
Ci-ú-me / iú = hiato
Com-pre-en-der


Não se separam os dígrafos ch, lh, nh, qu, gu:
Ex. Cho-ca-lho / ch, lh = dígrafos inseparáveis.
Qui-nhão / qu, nh = dígrafos inseparáveis.
Gui-sa-do / gu = dígrafo inseparável.


Separam-se os dígrafos rr, ss, sc, sç, xc e xs:
Ex. Ex-ces-so / xc, ss = dígrafos separáveis.
Flo-res-cer / sc = dígrafo separável.
Car-ro-ça / rr = dígrafo separável.
Des-ço / sç = dígrafo separável.



Separam-se os encontros consonantais impuros:
Encontros consonantais impuros, ou disjuntos, são consoantes em sílabas diferentes.

Ex. Es-co-la
E-ner-gi-a
Res-to



Separam-se as vogais idênticas e os grupos consonantais cc e cç:
Ex. Ca-a-tin-ga
Re-es-tru-tu-rar
Ni-i-lis-mo
Vô-o
Du-un-vi-ra-to




Prefixos terminados em consoante:

Ligados a palavras iniciadas por consoante: Cada consoante fica em uma sílaba, pois haverá a formação de encontro consonantal impuro.

Ex. Des-te-mi-do
Trans-pa-ren-te
Hi-per-mer-ca-do
Sub-ter-râ-neo

Ligados a palavras iniciadas por vogal: A consoante do prefixo ligar-se-á à vogal da palavra.

Ex. Su-ben-ten-di-do
Tran-sal-pi-no
Hi-pe-ra-mi-go
Su-bal-ter-no

Fonética: encontro vocálico, encontro consonantal e dígrafos

Fonética
A Fonética, ou Fonologia, estuda os sons emitidos pelo ser humano, para efetivar a comunicação. Diferentemente da escrita, que conta com vogais e consoantes, a Fonética se ocupa dos fonemas (= sons); são eles as vogais, as consoantes e as semivogais.

Vogal = São as cinco já conhecidas - a, e, i, o, u - quando funcionam como base de uma sílaba. Em cada sílaba há apenas uma vogal. NUNCA HAVERÁ MAIS DO QUE UMA VOGAL EM UMA MESMA SÍLABA.

Consoante = Qualquer letra - ou conjunto de letras representando um som só - que só possa ser soada com o auxílio de uma vogal (com + soante = soa com...). Na fonética são consoantes b, d, f, g (ga, go, gu), j (ge, gi, j) k (c ou qu), l, m (antes de vogal), n (antes de vogal), p, r, s (s, c, ç, ss, sc, sç, xc), t, v, x (inclusive ch), z (s, z), nh, lh, rr.

Semivogal = São as letras e, i, o e u quando formarem sílaba com uma vogal, antes ou depois dela, e as letras m e n, nos grupos AM, EM e EN, em final de palavra - somente em final de palavra.

Quando a semivogal possuir som de i, será representada foneticamente pela letra Y; com som de u, pela letra W.

Então teremos, por exemplo, na palavra caixeiro, que se separa silabicamente cai-xei-ro, o seguinte: 3 vogais = a, e, o; 3 consoantes = k (c), x, r; 2 semivogais = y (i, i). Representando a palavra foneticamente, ficaremos com kayxeyro.

Na palavra artilheiro, ar-ti-lhei-ro, o seguinte: 4 vogais = a, i, e, o; 4 consoantes = r, t, lh, r; 1 semivogal = y (i). Foneticamente = artiĹeyro.

Na palavra viagem, vi-a-gem, 3 vogais = i, a, e; 2 consoantes = v, g; 1 semivogal = y (m). viajẽy.


M / N

As letras M e N devem ser analisadas com muito cuidado. Elas podem ser:

Consoantes = Quando estiverem no início da sílaba.

Semivogais = Quando formarem os grupos AM, EM e EN, em final de palavra - somente em final de palavra - sendo representadas foneticamente por Y ou W.

Ressôo Nasal = Quando estiverem após vogal, na mesma sílaba que ela, excetuando os três grupos acima. Indica que o M e o N não são pronunciados, apenas tornam a vogal nasal, portanto haverá duas letras (a vogal + M ou N) com um fonema só (a vogal nasal).

exemplo:
na palavra manchem, terceira pessoa do plural do presente do subjuntivo do verbo manchar, teremos o seguinte: man-chem, 2 vogais = a, e; 2 consoantes = o 1º m, x(ch); 1 semivogal = y (o 2º m); 1 ressôo nasal = an (ã). mãxẽy.


____________________
Encontros Vocálicos

É o agrupamento de vogais e semivogais. Há três tipos de encontros vocálicos:

Hiato = É o agrupamento de duas vogais, cada uma em uma sílaba diferente.

Lu-a-na, a-fi-a-do, pi-a-da

Ditongo = É o agrupamento de uma vogal e uma semivogal, em uma mesma sílaba. Quando a vogal estiver antes da semivogal, chamaremos de Ditongo Decrescente, e, quando a vogal estiver depois da semivogal, de Ditongo Crescente. Chamaremos ainda de oral e nasal, conforme ocorrer a saída do ar pelas narinas ou pela boca.

Cai-xa = Ditongo decrescente oral.
Cin-qüen-ta = Ditongo crescente nasal, com a ocorrência do Ressôo Nasal.

Tritongo = É o agrupamento de uma vogal e duas semivogais. Também pode ser oral ou nasal.

A-güei = Tritongo oral.
Á-güem = Tritongo nasal, com a ocorrência da semivogal m.


Além desse três (hiato, ditongo e tritongo), há dois outros encontros vocálicos importantes:

Iode = É o agrupamento de uma semivogal entre duas vogais. São aia, eia, oia, uia, aie, eie, oie, uie, aio, eio, oio, uio, uiu, em qualquer lugar da palavra - começo, meio ou fim. Foneticamente, ocorre duplo ditongo ou tritongo + ditongo, conforme o número de semivogais. A Iode será representada com duplo Y: ay-ya, ey-ya, representando o "y" um fonema apenas, e não dois como possa parecer. A palavra vaia, então, tem quatro letras (v - a - i - a) e quatro fonemas (v - a - y - a), sendo que o "y" pertence a duas sílabas, não havendo, no entanto, "silêncio" entre as duas no momento de pronunciar a palavra.

Vau = O mesmo que a Iode, porém com a semivogal W.

Pi-au-í = Vau, com a representação fonética Pi-aw-wi. Com o "w" ocorre o mesmo que ocorreu com o "y", ou seja, representa um fonema apenas.


Ocorrem, também, na Língua Portuguesa, encontros vocálicos que ora são pronunciados como ditongo, ora como hiato. São eles:

Sinérese = São os agrupamentos ae, ao, ea, eo, ia, ie, io, oa, oe, ua, ue, uo.

Ca-e-ta-no, Cae-ta-no; ge-a-da, gea-da; Na-tá-li-a, Na-tá-lia; du-e-lo, due-lo.

Diérese = São os agrupamentos ai, au, ei, eu, iu, oi, ui.

re-in-te-grar, rein-te-grar; re-u-nir, reu-nir; di-u-tur-no, diu-tur-no.

Obs.: Há palavras que, mesmo contendo esses agrupamentos não sofrem sinérese ou diérese. Há que se ter bom senso, no momento de se separarem as sílabas. Nas palavras rua, tia, magoa, por exemplo, é claro que só há hiato.

_______________________
Encontros Consonantais

É o agrupamento de consoantes. Há três tipos de encontros consonantais:

Encontro Consonantal Puro = É o agrupamento de consoantes, lado a lado, na mesma sílaba.

Bra-sil, pla-ne-ta, a-dre-na-li-na

Encontro Consonantal Disjunto = É o agrupamento de consoantes, lado a lado, em sílabas diferentes.

ap-to, cac-to, as-pec-to

Encontro Consonantal Fonético = É a letra x com som de ks.

Maxi, nexo, axila = maksi, nekso, aksila.


Não se esqueça de que as letras M e N pós-vocálicas não são consoantes, e sim semivogais ou simples sinais de nasalização (ressôo nasal).

_________
Dígrafos
Dígrafo é o agrupamento de duas letras com apenas um fonema. Os principais dígrafos são rr, ss, sc, sç, xc, xs, lh, nh, ch, qu, gu. Representam-se os dígrafos por letras maiores que as demais, exatamente para estabelecer a diferença entre uma letra e um dígrafo. Qu e gu só serão dígrafos, quando estiverem seguidos de e ou i, sem trema. Os dígrafos rr, ss, sc, sç, xc e xs têm suas letras separadas silabicamente; lh, nh, ch, qu, gu, não.

arroz = ar-roz - aRos;
assar = as-sar - aSar;
nascer = nas-cer - naSer;
desço = des-ço - deSo;
exceção = ex-ce-ção - eSesãw;
exsudar = ex-su-dar - eSudar;
alho = a-lho - aĹo;
banho = ba-nho - baÑo;
cacho = ca-cho - kaXo;
querida = que-ri-da - Kerida;
sangue = san-gue - sãGe.

Dígrafo Vocálico = É o outro nome que se dá ao Ressôo Nasal, pelo fato de serem duas letras com um fonema vocálico.

sangue = san-gue - sãGe



Alexandria Virtual: Biblioteca virtual, que disponibiliza suas obras pela internet, gratuitamente. Seu acervo conta com mais de 2.000 títulos que cobrem as mais diversas áreas, desde literatura clássica até livros sagrados, passando por obras políticas e muito mais.idioma : português

eBookCult: Um vasto acervo de títulos para download gratuito em um site que busca contribuir com o fortalecimento da educação e da identidade cultural brasileira. No site o usuário encontra ainda, além dos livros, os readers para os diversos formatos.idioma : português

eBooks Brasil: Biblioteca pública virtual, com todos os títulos disponíveis gratuitamente para leitura e download. Os formatos de arquivo variam, grande parte é composta por Rocket Editions, alguns são em html e alguns poucos em pdf.idioma : português

NonaArte: Editora virtual onde o internauta encontra diversas histórias completas para download gratuito, no formato de e-books em PDF. Além dos quadrinhos, todo mês são disponibilizadas imagens para referência, ideal para desenhistas. O site já dispõe de 168 fotos, que podem ser baixadas pelo download de um arquivo zip. Além disso, há alguns links para o download de software freeware.idioma : português

Project Gutenberg: Aqui você encontra para download gratuito livros clássicos do início do século XX e anteriores, de autores como Shakespeare, Poe, Dante além das populares aventuras de Sherlock Holmes, escritas por Sir Arthur Conan Doyle. Tarzan (de Edgar Rice Burroughs) e Alice no País das Maravilhas (de Lewis carrol) entre outros também fazem parte do acervo.

The eBook Directory: Mais de 20.000 e-books para download gratuito nos mais diversos gêneros, entre eles computação, auto-ajuda, infantil, literatura e outros.

Virtual Books Online: Inúmeros livros em diversos idiomas e dos mais variados autores para download gratuito. O site edita ainda um boletim eletrônico em que informa as últimas inclusões feitas no acervo.

Virtual Bookstore: Centenas de livros completos em formato eletrônico. Obras dos mais célebres autores brasileiros e clássicos da literatura internacional. Tudo isso de graça.

Cultura Brasileira: Download de livros clássicos de autores brasileiros e internacionais, todos em formato Word e compactados em .zip

iGLer: Mais de 200 livros da literatura brasileira, portuguesa e universal para você fazer download gratuito e ler sem pressa.

Biblioteca Burgal de Saint Pierre: Diversas obras clássicas nos mais diversos gêneros e idiomas para download gratuito. Lamentavelmente o site não é atualizado há algum tempo.

Golf eBooks: Esse é para os amantes do golfe. Guias de golfe para download gratuito, oferecidos pelo site GolfeBooks.com. Aqui você encontra todos os guias de golfe que desejar.


Regras de Acentuação

Monossílabos Tônicos:
Os monossílabos tônicos serão acentuados, quando terminarem em A, E, O, seguidos ou não de s.

Ex. pá, pás, má, más, vá, lá, já.
pé, pés, mês, rês, Zé, né?
pó, pós, dó, cós, pô!

--------------------------------------------------------------------------------
Oxítonas:
São as palavras cuja sílaba tônica é a última.
São acentuadas, quando terminarem em A, E, O, seguidos ou não de s, e em EM, ENS.

Ex.
Corumbá, maracujás, maná, Maringá.
rapé, massapê, filé, sapé.
filó, rondó, mocotó, jiló.
amém, armazém, também, Belém.
parabéns, armazéns, nenéns.


--------------------------------------------------------------------------------

Paroxítonas:
São as palavras cuja sílaba tônica é a penúltima sílaba.
São acentuadas, quando terminarem em UM, UNS, L, ÊEM, PS, X, EI (s), ÃO (s), U (s), ditongo crescente (s), N, ÔO, I (s), R, Ã (s).


Ex.
álbum, factótum, médiuns.
ágil, flexível, volátil.
crêem, dêem, lêem, vêem.
fórceps, bíceps, tríceps.
tórax, xérox (também pode ser xerox), fênix.
pônei, vôlei, jóquei.
órgão, órfãos, sótão.
ônus, bônus.
Mário, secretária.
hífen, pólen, gérmen.
vôo, côo, entôo.
táxi, júris.
fêmur, âmbar, revólver.
ímã, órfãs.




--------------------------------------------------------------------------------

Proparoxítonas:
São as palavras cuja sílaba tônica é a antepenúltima sílaba.
Todas as proparoxítonas são acentuadas, salvo a expressão per capita, por não pertencer à Língua Portuguesa.

Ex. síndrome, ínterim, lêvedo, lâmpada, sândalo.




--------------------------------------------------------------------------------

Ditongos abertos
Os ditongos eu, ei, oi / éu, éi, ói somente receberão acento, quando forem abertos, seguidos ou não de s.

Ex. meu, chapéu, deus, troféus.
peixe, anéis, rei, réis.
doido, estóico, foice, destrói.


--------------------------------------------------------------------------------

I e U hiatos tônicos
As letras i e u serão acentuadas, independente da posição na palavra, quando surgirem:

Formando hiato tônico com a vogal anterior.
Sem consoante na mesma sílaba, exceto o s.
Sem nasalização (til, NH e ressôo nasal).

Ex. saída, ataúde, miúdo.
sairmos, balaústre, juiz.
rainha, ruim, juízes.



--------------------------------------------------------------------------------

Os grupos que, qui, gue, gui devem ser analisados com muito cuidado, pois podem surgir com trema, com acento agudo ou sem sinal gráfico algum. Vejamos então:

01) Quando o u for pronunciado atonamente, ou seja, quando as três letras participarem da mesma sílaba, sendo o u pronunciado, deveremos colocar trema sobre ele.

Ex. se-qüên-cia, cin-qüen-ta.
tran-qüi-lo, qüin-qüê-nio.
a-güen-tar, en-xá-güem.
ar-güi-ção, lin-güi-ça.

02) Quando o u for pronunciado tonicamente, ou seja, quando o e ou o i formarem hiato com o u, deveremos colocar acento agudo sobre o u. Isso ocorre somente com alguns verbos da Língua Portuguesa. Vejamo-los:

Averiguar, apaziguar e obliquar: As pessoas eu, tu, ele e eles do Presente do Subjuntivo são as únicas a receberem o acento agudo.

Ex. Que eu averigúe, tu averigúes, ele averigúe, eles averigúem.
Que eu apazigúe, tu apazigúes, ele apazigúe, eles apazigúem.
Que eu obliqúe, tu obliqúes, ele obliqúe, eles obliqúem.

Significado dos verbos:
Averiguar = examinar com cuidado; verificar.
Apaziguar = pacificar, acalmar.
Obliquar = Proceder maliciosamente; caminhar obliquamente.

Argüir e redargüir: As pessoas tu, ele e eles do Presente do Indicativo são as únicas a receberem o acento agudo.

Ex. Tu argúis, ele argúi, eles argúem.
Tu redargúis, ele redargúi, eles redargúem.

Significado dos verbos:
Arqüir = acusar; censurar; argumentar; examinar, questionando ou interrogando.
Redargüir = Replicar, responder argumentando; acusar, recriminar.




--------------------------------------------------------------------------------


Verbos ter e vir e formas verbais
Os verbos Ter e Vir, no Presente do Indicativo, têm a seguinte conjugação:


Ter Vir
Eu tenho Eu venho
Tu tens Tu vens
Ele tem Ele vem
Nós temos Nós vimos
Vós tendes Vós vindes
Eles têm Eles vêm

Perceba que a terceira pessoa do plural - eles - possui um e só e acento circunflexo.


--------------------------------------------------------------------------------

Os derivados dos verbos Ter e Vir, no Presente do Indicativo, têm a seguinte conjugação: Peguemos como exemplo os verbos manter e intervir

Manter Intervir
Eu mantenho Eu intervenho
Tu manténs Tu intervéns
Ele mantém Ele intervém
Nós mantemos Nós intervimos
Vós mantendes Vós intervindes
Eles mantêm Eles intervêm

Observe que tu e ele possuem um e só, com acento agudo e eles, um e só, com acento circunflexo.

Obs: Descobrem-se os derivados dos verbos, conjugando uma determinado pessoa - por exemplo eu. Caso seja igual ao verbo original, será derivado dele. Por exemplo, a primeira pessoa do singular do presente do Indicativo do verbo ter é tenho. Todos os verbos que tenham essa terminação - tenho - serão derivados do verbo ter. mantenho, detenho, entretenho, retenho.


--------------------------------------------------------------------------------

Êem:
Não se esqueça dos verbos que possuem a terminação êem: crer, dar, ler, ver e todos os seus derivados. eles crêem, lêem, vêem. Que eles dêem.


--------------------------------------------------------------------------------

As formas verbais oxítonas terminadas em A, E, O, acompanhadas dos pronomes oblíquos átonos lo, la, los, las devem ser acentuadas. O mesmo ocorre com as formas verbais terminadas em I, formando hiato tônico com a vogal anterior.

Ex. Iremos contratá-lo.
Não quero comprometê-lo.
O dinheiro, vou repô-lo.
A casa, iremos construí-la em breve.

.
Exercícios sobre pontuação

01. IDENTIFIQUE O ITEM EM QUE A PONTUAÇÃO ESTÁ CORRETA

a) Sobre a sociedade, acima das classes, o aparelhamento político - uma camada social, comunitária embora nem sempre articulada - impera, rege e governa, em nome próprio, num círculo impermeável de comando. Esta camada, que não representa a nação, quando forçada pela lei do tempo, renova-se e substitui velhos por moços, inaptos por aptos, num processo que cunha e nobilita os recém-vindos, imprimindo-lhes os seus valores.

b) Sobre a sociedade acima das classes, o aparelhamento político - uma camada social, comunitária embora nem sempre articulada; impera, rege e governa, em nome próprio, num círculo impermeável de comando. Esta camada, que não representa a nação, quando forçada pela lei do tempo, renova-se e substitui velhos por moços, inaptos por aptos, num processo que cunha, e nobilita os recém-vindos, imprimindo-lhes os seus valores.

c) Sobre a sociedade, acima das classes, o aparelhamento político: uma camada social, comunitária embora nem sempre articulada - impera, rege e governa, em nome próprio, num círculo impermeável, de comando. Esta camada, que não representa a nação, quando forçada pela lei do tempo, renova-se e, substgitui velhos por moços, inaptos por aptos, num processo que cunha e nobilita os recém-vindos, imprimindo-lhes, os seus valores.


d) Sobre a sociedade acima das classes, o aparelhamento político; uma camada social, comunitária embora nem sempre articulada; impera, rege e governa em nome próprio, num círculo impermeável, de comando. Esta camada, que não representa a nação, quando forçada pela lei do tempo, renova-se e substitui, velhos, por moços, inaptos por aptos num processo que cunha e nobilita, os recém-vindos, imprimindo-lhes os seus valores.

e) Sobre a sociedade acima das classes o aparelhamento político. Uma camada social, comunitária embora nem sempre articulada - impera rege e governa, em nome próprio, num círculo impermeável de comando. Esta camada, que não representa, a nação quando forçada pela lei do tempo renova-se e substitui velhos por moços, inaptos por aptos, num processo que cunha, e nobilita os recém-vindos, imprimindo-lhes os seus valores. [ Raymundo Faoro - Os Donos do Poder ]



02. Assinale a frase em que a pontuação está incorreta.

a) E ficou de olhos abertos, concentrado esperando, que o dia nascesse e seus mortos, partissem.
b) Tomado de surpresa, fico imóvel, e somos como um feliz, ainda que insólito, casal de namorados.
c) O escuro da garagem reteve-as por alguns momentos, até que a vencedora emergiu, vagarosa, arquejante.
d) É bom que um homem, vez por outra, deixe o litoral misterioso e grande, querendo contemplar uma lagoa.
e) Pegou o telefone, deu instruções à companhia, acrescentando com meio desprezo: o que tem mais aqui é livro.

03.Assinale a frase em que faltam vírgulas.

a) Quem sabe se os dois tinham uma receita de felicidade?
b) Seria inútil explicar-lhe que um celeiro de brejo não tem preço.
c) Boa distração a gente sonhar construir castelos arquitetar episódios romanescos.
d) As pessoas distantes atingiram essa altura desolada em que papel e tinta nada significam.
e) A lembrança dele é grata aos que conheceram os últimos dias de glória dos teatros do interior.

04. Leia o texto com a finalidade de pontuá-lo corretamente.

“Diz a sabedoria popular chinesa (1) que toda marcha (2) por mais longa (3) e importante que seja (4) começa (5) com o primeiro passo. Dar (6) esse primeiro passo (7) às vezes (8) exige (9) grande determinação (10) esforço monumental e ( 11) muita coragem . Principalmente se o passo (12) for em direção (13) a um caminho desconhecido (14) com o qual ( 15) não estamos acostumados a lidar por conta dos vícios adquiridos.”
( Revista Veja )

Os números que devem ser substituídos por vírgulas são

a) 2 - 4 - 7 - 8 - 10 - 14
b) 1 - 4 - 5 - 9 - 11 - 14
c) 3 - 5 - 6 - 8 - 10 - 12
d) 1 - 2 - 3 - 4 - 7 - 10 - 12
e) 2 - 3 - 4 - 7 - 9 - 13 - 15

GABARITO:
01. A
02. A
03. C
04. A

Exercícios de coerência e coesão textual

Nas questões 02 e 03, numere os períodos de modo a constituírem um texto coeso e coerente e, depois, indique a seqüência numérica correta.

02- ( ) Por isso era desprezado por amplos setores, visto como resquício da era do capitalismo desalmado.
( ) Durante décadas, Friedman - que hoje tem 85 anos e há muito aposentou-se da Universidade de Chicago - foi visto como uma espécie de pária brilhante.
( ) Mas isso mudou; o impacto de Friedman foi tão grande que ele já se aproxima do status de John Maynard Keynes (1883-1945) como o economista mais importante do século.
( ) Foi apenas nos últimos 10 a 15 anos que Milton Friedman começou a ser visto como realmente é: o mais influente economista vivo desde a Segunda Guerra Mundial.
( ) Ele exaltava a ‘liberdade’, louvava os ‘livres mercados’ e criticava o 'excesso de intervenção governamental.' (Baseado em Robert J. Samuelson, Exame, 1/7/1998)

a) 4, 2, 5, 1, 3
b) 1, 2, 5, 3, 4
c) 3, 1, 5, 2, 4
d) 5, 2, 4, 1, 3
e) 2, 5, 4, 3, 1


03- ( ) Na verdade, significa aquilo que um liberal americano descreveria (sem estar totalmente correto, porém) como conservadorismo.
( ) Nos Estados Unidos, liberalismo significa a atuação de um governo ativista e intervencionista, que expande seu envolvimento e as responsabilidades que assume, estendendo-os à economia e à tomada centralizada de decisões.
( ) A guerra global entre estado e mercado contrapõe ‘liberalismo’ a ‘liberalismo’.
( ) No resto do mundo, liberalismo significa quase o oposto.
( ) Esta última definição contém o sentido tradicional dado ao liberalismo.
( ) Esse tipo de liberalismo defende a redução do papel do Estado, a maximização da liberdade individual, da liberdade econômica e do papel do mercado. (Exame, 1/7/1998)

a) 1, 5, 3, 4, 2, 6
b) 3, 1, 4, 5, 6, 2
c) 2, 4, 5, 3, 6, 1
d) 4 , 2, 1, 3, 6, 5
e) 1, 3, 2, 6, 5, 4

04- Numere o segundo conjunto de sentenças de acordo com o primeiro, de modo que cada par forme uma seqüência coesa e lógica.
(1) A experiência mundial produziu uma ordem razoavelmente depurada de radicalismos ideológicos neste fim de século.
(2) As reformas tributária, da legislação trabalhista e da previdência são necessárias à consolidação de uma economia de mercado com altas doses de investimento e de geração de empregos.
(3) O Plano Real interrompeu a ciranda de preços e, com isso, erradicou o imposto inflacionário.
(4) Um fator crítico para consolidar a moeda forte é um banco central independente.
(5) Os governos nacionais que compreendem a lógica da economia de mercado implementam políticas públicas compatíveis com a nova ordem em formação. (Baseado em Paulo Guedes, Exame, 1/7/1998)

( ) Este era politicamente ilegítimo (uma taxação sem legislação) e socialmente injusto.
( ) Ele remeteria ao Congresso o ritual de aprovação de despesas e arrecadação de impostos, o que poderia aumentar a transparência da atuação do Estado.
( ) Os que não a compreendem, quer por preconceitos ideológicos, quer por motivos religiosos, quer por ignorância, cavam um fosso no qual aprisionam populações inteiras.
( ) Mas elas precisam ser transmitidas em linguagem cotidiana para que ‘globalização’ não signifique ‘desnacionalização industrial somada a ciranda financeira internacional’.
( ) Seus alicerces são sistemas políticos democráticos, economias de mercado em processo de globalização, ação social descentralizada por parte de governos nacionais e a consolidação de moedas fortes.
A seqüência numérica correta é:
a) 5, 4, 2, 3, 1
b) 3, 4, 5, 2, 1
c) 1, 5, 3, 4, 2
d) 2, 1, 4, 5, 3
e) 4, 2, 5, 1, 3

05- Assinale o segmento que apresenta erro de con­cordância.
a) As empresas estrangeiras registram o capital que investe no país como empréstimos feitos pela matriz para poder remeter os juros às matrizes sem pagar imposto de renda. Há muitas propostas para reduzir a evasão fiscal no país. Uma delas é a cobrança de imposto sobre o faturamento das empresas.
b) No sistema financeiro, 34% dos débitos reconhecidos com a Receita estão com o pagamento suspenso por causa de liminares. As empresas deixaram de pagar cerca de 12 bilhões de reais em impostos nos últimos cinco anos, dos quais 3,5 bilhões seriam devidos pelos bancos.
c) O motivo: a Lei no 8200, de 1991, permitiu a correção monetária das despesas nos balanços, mas não fez o mesmo com as receitas. Boa parte dos dólares aplicados por investidores estrangeiros no país seria de brasileiros. O dinheiro, depositado em paraísos fiscais, retorna ao país sob a forma de investimento em ações e em aplicações de renda fixa, sem identificação do titular da conta, e sai sem pagar imposto algum.
d) As empresas acumulam prejuízos de 183 bilhões de reais e querem transformá-los em créditos com o Fisco. Desse total, 23 bilhões são perdas contabilizadas por instituições financeiras. Se esse volume de recursos fosse usado de uma só vez, equivaleria a mais de um ano de arrecadação.
e) Das 530 maiores empresas do país, metade não pagou imposto de renda em 1997. O mesmo ocorreu com os bancos. Das 66 maiores instituições financeiras, 42% não recolheram imposto de renda. A Receita tem 115 bilhões de reais a receber em impostos devidos pelas empresas que não foram pagos por causa do que se chamou de “indústria de liminares”. (Exame, 02/06/1999, p.14 e 15, com adaptações)

06- Assinale a opção em que o texto foi transcrito com erro de concordância verbal.
a) Um delegado mal-intencionado pode perse-guir um cidadão ou uma empresa ou, da mesma forma, proteger um sonegador. Por isso, essas indicações sempre foram olimpi­camente disputadas pelos partidos.
b) A partir de 1994, a Receita Federal passou a nomear todos os delegados e superinten-dentes do órgão nos Estados, sem nenhuma interferência política. Esses cargos compõe o sistema nervoso da Receita.
c) Há casos de funcionários, como os inspetores alfandegários de aeroportos e portos, que há anos eram escolhidos por políticos. O resul­tado é que a fiscalização ganhou mais inde­pendência.
d) As mudanças surtiram, de imediato, efeitos práticos. O primeiro é que o raio de ação dos fiscais cresceu consideravelmente.
e) Os auditores passaram a visitar empresas e pessoas que antes se sentiam seguras gra­ças às amizades que tinham em determina­dos postos. (VEJA, Edição 1621 - 27/10/1999)

07- Os fragmentos abaixo constituem um texto, mas estão desordenados. Ordene-os de forma coesa e coerente e assinale a resposta correta.
A. Na sede da entidade, a Receita recolheu para análise dezenas de notas fiscais, comprovantes de pagamentos e livros contábeis. Com base nos documentos, o órgão federal espera esclarecer a questão. O movimento financeiro durante os dez dias da festa é avaliado pelo Sebrae da cidade em R$ 278 milhões.
B. Segundo sua análise, o evento reúne 1 milhão de pessoas, com uma média de R$ 278 gastos por freqüentador. Desses R$ 278 milhões, a média de arrecadação é de 3%. Segundo informações obtidas pela Receita, metade desse percentual estaria sendo sonegado - ou seja, R$ 4,17 milhões. Além do clube, devem ser fiscalizados hotéis, restaurantes e a empresa que vende os anúncios da festa.
C. A suspeita de sonegação surgiu porque o recolhimento dos tributos por parte de comerciantes e empresários da região, no período da festa, é o mesmo dos outros meses do ano. "Todo mundo diz que o faturamento dobra ou triplica no período da festa, mas o total arrecadado em impostos fica igual", diz o delegado da Receita. O primeiro alvo dos auditores na cidade foi o clube Os Independentes, instituição responsável pela organização da Festa do Peão de Boiadeiro.
D. A Receita Federal de Franca está apurando a sonegação de impostos praticada pelas empresas e associações que atuam na Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos.
(Rogério Pagnan, Folha de S. Paulo, 15/08/2000, p. F2, com adaptações)
a) C, A, B, D
b) D, C, A, B
c) A, B, C, D
d) D, B, C, A
e) B, C, D, A

PROVA I [ Polícia Rodoviária / 98 ]
"Arrumar o homem"
( Dom Lucas Moreira Neves Jornal do Brasil, Jan. 1997)
Não boto a mão no fogo pela autenticidade da estória que estou para contar. Não posso, porém, duvidar da veracidade da pessoa de quem a escutei e, por isso, tenho-a como verdadeira. Salva-me, de qualquer modo, o provérbio italiano: "Se não é verdadeira... é muito graciosa!"
Estava, pois, aquele pai carioca, engenheiro de profissão, posto em sossego, admitido que, para um engenheiro, é sossego andar mergulhado em cálculos de estrutura. Ao lado, o filho, de 7 ou 8 anos, não cessava de atormentá-lo com perguntas de todo jaez, tentando conquistar um companheiro de lazer.
A idéia mais luminosa que ocorreu ao pai, depois de dez a quinze convites a ficar quieto e a deixá-lo trabalhar, foi a de pôr nas mãos do moleque um belo quebra-cabeça trazido da última viagem à Europa. "Vá brincando enquanto eu termino esta conta". sentencia entre dentes, prelibando pelo menos uma hora, hora e meia de trégua. O peralta não levará menos do que isso para armar o mapa do mundo com os cinco continentes, arquipélagos, mares e oceanos, comemora o pai-engenheiro.
Quem foi que disse hora e meia? Dez minutos depois, dez minutos cravados, e o menino já o puxava triunfante: "Pai, vem ver!" No chão, completinho, sem defeito, o mapa do mundo.
Como fez, como não fez? Em menos de uma hora era impossível. O próprio herói deu a chave da proeza: "Pai, vocë não percebeu que, atrás do mundo, o quebra-cabeça tinha um homem? Era mais fácil. E quando eu arrumei o homem, o mundo ficou arrumado!"
"Mas esse garoto é um sábio!", sobressaltei, ouvindo a palavra final. Nunca ouvi verdade tão cristalina: "Basta arrumar o homem (tão desarrumado quase sempre) e o mundo fica arrumado!"
Arrumar o homem é a tarefa das tarefas, se é que se quer arrumar o mundo.

01. Assinale o item cuja afirmativa está de acordo com o primeiro parágrafo do texto:
(A) embora o autor do texto não confie na veracidade da estória narrada, conta-a por seu valor moral;
(B) como o autor do texto confia na pessoa que lhe narrou a estória, ele a transfere para o leitor, mesmo sabendo que não é autêntica;
(C) A despeito de ser bastante graciosa a história narrada, o autor do texto tem certeza de sua inautenticidade ;
(D) O autor do texto nos narra uma história de cuja autenticidade não está certo, apesar de ter sido contada por pessoas dignas de confiança ;
(E) a estória narrada possui autenticidade, veracidade e , além disso, certa graça.

02. O título dado ao texto:
(A) representa a tarefa que deveria ser executada pelo menino;
(B) indica a verdadeira finalidade do jogo de quebra- cabeça;
(C) mostra a desorganização reinante na família moderna;
(D) assinala a tarefa básica inicial para a organização do mundo;
(E) demonstra a sabedoria precoce do menino da estória narrada.

03. Na continuidade de um texto, algumas palavras referem-se a outras anteriormente expressas; assinale o item em que a palavra destacada tem sua referência corretamente indicada:
(A) Não boto a mão no fogo pela autenticidade da estória que estou para contar - refere-se à autenticidade da estória narrada;
(B) Não posso, porém, duvidar da veracidade da pessoa de quem a escutei... - refere-se à veracidade da estória narrada;
(C) ...e, por isso tenho-a como verdadeira. - refere-se a não poder duvidar da veracidade da pessoa que lhe narrou a estória;
(D) ...tenho-a como verdadeira. - refere-se à pessoa que lhe narrou a estória do texto;
(E) Salva-me de qualquer modo, o provérbio italiano. - refere-se à pessoa de cuja veracidade o autor do texto não pode duvidar.

04. O item em que o vocábulo sublinhado está tomado em sentido não- figurado é:
(A) Não boto a mão no fogo pela autenticidade da estória...
(B) Estava, pois, aquele pai carioca ...
(C) ...não cessava de atormentá-lo com perguntas...
(D) ...comemora o pai-engenheiro.
(E) Mas esse garoto é um sábio !

05. ..por nas mãos do moleque um belo quebra-cabeça...; o substantivo quebra-cabeça forma o plural de modo idêntico a um dos substantivos abaixo:
(A) guarda-chuva;
(B) tenente-coronel;
(C) terça-feira;
(D) ponto-de-vista;
(E) caneta-tinteiro.

06. O item em que o vocábulo destacado tem seu sinônimo corretamente indicado é:
(A) Salva-me, de qualquer modo, o provérbio italiano... - citação;
(B) ...com perguntas de todo jaez .. - tipo;
(C) ...tentando conquistar um companheiro de lazer. - aventuras;
(D) ...prelibando pelo menos uma hora... - desejando;
(E) o peralta não levará menos do que isso... - revolucionário.

07. Vá brincando enquanto eu termino esta conta; se fossem dois engenheiros querendo trabalhar e
dois os meninos, esta mesma frase, mantidas as pessoas, deveria ter a seguinte forma:
(A) Vão brincando enquanto nós terminamos esta conta;
(B) Ide brincar enquanto eu termino esta conta;
(C) Vamos brincando enquanto nós terminamos esta conta;
(D) Vadé brincando enquanto eles terminam esta conta;
(E) Vai brincando enquanto nós terminamos esta conta.

08. Basta arrumar o homem (...) e o mundo fica arrumado! A noção expressa pela primeira oração, em relação à segunda é:
(A) concessão;
(B) causa;
(C) tempo;
(D) comparação;
(E) condição.

09. A frase do menino: E quando eu arrumei o homem, o mundo ficou arrumado! mostra que:
(A) o pai do menino desconhecia a brilhante inteligência do filho;
(B) o menino tinha uma visão critica do mundo bastante apurada;
(C) o menino já havia feito a mesma tarefa antes;
(D) o autor do texto quer mostrar a sabedoria do menino;
(E) o menino descobrira um meio mais fácil de completar a tarefa.

10. Mas esse garoto é um sábio...; esta frase do autor do .texto é introduzida por uma conjunção adversativa que marca, nesse caso, a oposição entre:
(A) a idade e a sabedoria;
(B) a autoridade e a desobediência;
(C) o trabalho e o lazer;
(D) a teoria e a prática;
(E) a ignorância e o conhecimento.

11. O segmento do texto que NÃO apresenta qualquer processo de intensificação vocabular é:
(A) Arrumar o homem é a tarefa das tarefas...;
(B) Em menos de uma hora era impossível.;
(C) Era mais fácil.;
(D) Nunca ouvi verdade tão cristalina;
(E) A idéia mais luminosa que ocorreu ao pai...

12. ... você não percebeu que atrás do mundo, o quebra-cabeça tinha um homem? ...se é que se quer arrumar o mundo ; a palavra mundo nesses dois segmentos:
(A) apresenta significados idênticos;
(B) representa significados opostos;
(C) mostra significados abstratos;
(D) possui alguns traços em comum;
(E) é exemplo de substantivo próprio.

13. ...pôr nas mãos do moleque um belo quebra-cabeça...; a palavra pôr leva acento gráfico pela mesma razão que nos leva a acentuar:
(A) você;
(B) têm;
(C) pára;
(D) nó;
(E) pôde.

14. "Mas esse garoto é um sábio!", sobressaltei, ouvindo a palavra final. ; a oração reduzida sublinhada só NÃO pode equivaler semanticamente a:
(A) ...porquanto ouvia a palavra final;
(B) ...quando ouvi a palavra final;
(C) ...após ouvir a palavra final;
(D) ...enquanto ouvia a palavra final;
(E) ..depois de ouvir a palavra final.

15..se é quer se quer arrumar o mundo.; a frase final do texto mostra que:
(A) o autor do texto participa do desejo geral de mudar o mundo;
(B) só uma parte da população anseia por mudanças;
(C) o autor do texto faz uma ressalva negativa sobre o desejo das pessoas;
(D) o filho do engenheiro desconfia das reais intenções das pessoas;
(E) só o mundo, por si mesmo, pode salvar-se.

16. Ao lado, o filho, de 7 ou 8 anos, não cessava de atormentá-lo...; as vírgulas que envolvem o segmento sublinhado:
(A) marcam um adjunto adverbial deslocado;
(B) indicam a presença de uma oração intercalada;
(C) mostram que há uma quebra da ordem direta da frase;
(D) estão usadas erradamente porque separam o sujeito do verbo;
(E) assinalam a presença de um aposto.

Gabarito Oficial - Prova da polícia Rodoviária Federal / 98

01 D 02 D 03 C
04 B 05 A 06 B
07 A 08 Anulada 09 E
10 A 11 B 12 D
13 C 14 A 15 C
16 E


PROVA II [ Polícia Rodoviária / 2002 ]

01. Em 2001, os números de acidentes, mortos e feridos nas rodovias federais do país diminuíram em relação a 2000, segundo dados da Polícia Rodoviária Federal( PRF) divulgados no dia 21/02/2002.

* Para que sejam preservadas as relações semânticas e a correção gramatical do primeiro período do texto, ao se empregar a expressão “os números” no singular, devem ser feitas as seguintes substituições: “diminuíram”por diminuiu e “divulgados” por divulgado. { C - E }

02. Segundo esse coordenador, o comportamento do motorista brasileiro ainda é preocupante. “As tragédias ocorrem em decorrência da falta de respeito às leis de trânsito”, disse.

* De acordo com os sentidos textuais, a expressão “em decorrência da falta de respeito às leis de trânsito” mantém a coerência e a correção gramatical do texto ao ser substituída por como decorrência do desrespeito às leis de trânsito ou como decorrência de se desrespeitarem as leis de trânsito. { C - E }

TEXTO 01: Hotel incluído

Em viagens acima de 300 km, não vale a pena usar o carro quando se está sozinho. O preço médio da passagem de ônibus entre as cidades de São Paulo e São José do Rio Preto é de R$ 50,00 ( ida e volta ), enquanto, de carro, gasta-se R$ 65,00 só de pedágios ( doze ). Some a esse valor 1,5 tanque de combustível ( R$ 130,00 ) e você terá gasto quatro vezes mais para desfrutar do prazer de dirigir do que gastaria se trocasse a direção por um assento de passageiro. Isso sem falar no desgaste do veículo e na possibilidade de ser multado se a pressa de chegar ao destino reduzir o seu cuidado em dirigir defensivamente.
Ao usar o ônibus, é como se você ganhasse de presente uma diária em um hotel de bom nível na cidade para a qual viaja. Ou, se preferir, todas as refeições do fim de semana incluídas.


03. Como estratégia argumentativa, o leitor do texto ora é referido pelo índice de indeterminação “se”, ora pelo pronome “você”. { C - E }

04. Embora o verbo “usar” não tenha explicitamente sujeito, textualmente pode-se para ele subentender o pronome se . { C - E }

05. O tempo verbal de “terá gasto” indica uma ação que terá sido realizada antes de outra ocorrer no futuro, na hipótese de não se trocar a direção por um assento de passageiro. { C - E }

06. Na linha 5, a conjunção “e” adiciona dois complementos ligados a “falar”( linha 5 ) { C - E }


TEXTO 02: CAPÍTULO XV - DAS INFRAÇÕES

Art. 161. Constitui infração de trânsito a inobservância de qualquer preceito deste Código, da legislação complementar ou das resoluções do CONTRAN, sendo o infrator sujeito às penalidades e medidas administrativas indicadas em cada artigo, além das punições previstas no Capítulo XIX.
(...)
Art. 165. Dirigir sob a influência de álcool, em nível superior a seis decigramas por litro de sangue, ou de qualquer substância entorpecente ou que determine dependência física ou psíquica: Infração - gravíssima; Penalidade - multa ( cinco vezes) e suspensão do direito de dirigir; Medidas...

07. As palavras “inobservância( linha 1 ), “indicadas” ( linha 3 ), “influência” ( linha 5 ) apresentam o mesmo prefixo, apesar de pertencerem a classes gramaticais diferentes. { C - E }

08. A coerência do texto e as regras gramaticais seriam respeitadas, caso se inserisse às imediatamente antes de “medidas” ( linha 2 ). { C - E }


09. Para efeito de aplicação das penalidades previstas, a conjunção “ou” ( linha 4 ) deve ser entendida como também inclusiva. { C - E }

TEXTO 03: As ações de respeito para com os pedestres.

> Motorista, ao primeiro sinal do entardecer, acenda os faróis.
Procure não usar a meia-luz.
> Não use faróis auxiliares na cidade.
> Nas rodovias, use sempre os faróis ligados. Isso evita 50% dos atropelamentos. Seu carro fica mais visível aos pedestres.
> Sempre, sob chuva ou neblina, use os faróis acesos.
Ø Ao se aproximar de uma faixa de pedestres, reduza a velocidade e preste atenção. O pedestre tem a preferência na passagem.
Ø Motorista, atrás de uma bola vem sempre uma criança.
Ø Nas rodovias, não dê sinal de luz quando verificar um trabalho de radar da polícia. Você estará ajudando um motorista irresponsável, que trafega em alta velocidade, a não ser punido. Esse motorista, não sendo punido hoje, poderá causar uma tragédia no futuro.
Ø Não estacione nas faixas de pedestres.

10. Entre os diversos fatores que ampliam as ações de respeito para com os pedestres, está o fortalecimento do conceito de cidadania, marcante na civilização contemporânea. { C - E }

11. Embora o vocativo “Motorista” esteja explícito apenas em dois tópicos do texto, o emprego dos tempos verbais indica que está subentendido em todos os demais. { C - E }

12. As relações semânticas no terceiro tópico permitem subentender a idéia de porque entre “atropelamentos” e “Seu”. { C - E }

13. No quarto tópico, a circunstância “sob chuva ou neblina” tem função caracteristicamente explicativa e, por isso, se for retirada, não se alterarão as condições de uso para “faróis acesos”. { C - E }

14. O sexto tópico, diferentemente dos outros, não explicita a ação do motorista, apenas fornece uma condição para que seja subentendida cautela. { C - E }

TEXTO 04 : Educação para o trânsito: RS, ES e DF integram o Rumo à Escola

Buscando implementar a temática do trânsito nas escolas de ensino fundamental, o Departamento Nacional de Trânsito ( DENATRAN) implantou o projeto Rumo à Escola. Até o momento, 165 escolas das capitais de 11 estados estão integradas ao projeto. Nessa quarta-feira ( 27/2), integram o programa o Rio Grande do Sul e o Espírito Santo. No dia 28, será a vez do DF e, em 14 de março, de São Paulo.
Após sua implementação em São Paulo, o projeto terá concluído a adesão de sua primeira de três etapas. No dia 21 de março, está prevista uma teleconferência nos estados contemplados pelo programa.

15. O gerúndio em “Buscando” inicia uma oração subordinada que mantém com a principal do período um nexo de circunstância causal. { C - E }

16. No texto, a idéia terminativa da ação em “estão integradas” ( linha 3 ), que corresponde, em geral, às formas de pretérito perfeito, opõe-se à idéia não-terminativa do presente em “integram”( linha 3 ), que pode ser interpretada como a ocorrer no futuro. { C - E }

17. Mantém-se a coerência textual, mas altera-se a voz do verbo, de passiva para reflexiva, ao se substituir a construção verbal “está prevista” ( linha 6 ) por prevê-se. { C - E }






TEXTO 05

Os EUA acreditam que o Brasil seja o segundo maior consumidor de cocaína do mundo. Segundo o subsecretário do Escritório Internacional para Assuntos de Entorpecentes, James Mack, estima-se que o país consuma entre 40 e 50 toneladas de cocaína por ano. A estimativa baseia-se na produção e circulação da droga no mundo. Em 2000, foram produzidas 700 toneladas de cocaína, estando 95% da produção concentrada na Colômbia.
Desse total, segundo Mack, 100 toneladas passam pelo Brasil, mas apenas entre 50 t e 60 t chegam à Europa. Os norte-americanos acreditam que a droga que não vai para a Europa é consumida no Brasil. O Brasil só ficaria atrás dos EUA, que, em 2000, consumiram 266t . “Em 1999, 80% da cocaína do mundo foi consumida nos EUA e, em 2000, conseguimos reduzir esse total para menos da metade. O problema é que a droga está indo para outros países, entre eles o Brasil”, disse Mack.
Mack veio ao Brasil, acompanhado de outros especialistas norte-americanos no assunto, para a reunião anual entre o Brasil e os EUA sobre coordenação no combate ao narcotráfico e outros ilícitos, como lavagem de dinheiro, por exemplo.

18. O fato de o Brasil ser “o segundo maior consumidor de cocaína do mundo”( linha 1 ) conservará as mesmas relações de coerência com a argumentação do texto se, em lugar de “acreditam” ( linha 1 ), dor usado sabem, com as devidas alterações sintáticas. { C - E }

19. O emprego de “consuma” ( linha 3 ) indica, sintaticamente, uma ação dependente de outra, ao mesmo tempo que denota uma hipótese, algo de que não se pode afirmar a certeza. { C - E }

20. Mantêm-se as mesmas relações percentuais ao se empregar a preposição em no lugar de “para” na expressão “para menos da metade” ( linha 9 ) . { C - E }

21. Mantêm-se a coerência e a coesão textuais ao deslocar-se a expressão “acompanhado de outros especialistas norte-americanos no assunto” ( linha 11 ) para o início do período ou para imediatamente após “ilícitos” ( linha 12 ). { C - E }

22. Nas linhas 1 e 12, “Brasil” e “EUA” estão sendo utilizados para designar representantes brasileiros e representantes norte-americanos. { C - E }


GABARITO:
01 E 06 C 11 C 16 C 21 E
02 C 07 E 12 C 17 E 22 E
03 C 08 C 13 E 18 E
04 C 09 C 14 C 19 C
05 C 10 C * 15 C 20 E